São Miguel Dos Milagres

Resolvi desconectar por uns dias, e tirar um tempo para fazer nada, além de descansar e curtir meus filhos. Pensei em vários lugares, pesquisei, perguntei e, por fim, depois de muita busca, acabei escolhendo São Miguel dos Milagres, que fica há pouco mais de uma hora de Maceió. Muitas pessoas me alertaram ao fato de o lugar não ter uma estrutura muito montada para crianças. Isso é, o lugar não tem parques, toboáguas e nem milhares de crianças correndo pelos arredores. Mas tem uma praia linda, sossegada, com um mar verde, quente e tão calmo que mais parece uma jacuzi. Confesso que a grande maioria dos nossos vizinhos de hospedagem na Pousada do Toque eram adultos, mas tanto os hóspedes quanto o staff da pousada foram super hospitaleiros com a gente.

A pousada fica a beira mar, e é, ao mesmo tempo, super rústica e confortável. Acomodações cheias de charme, com lençóis maravilhosos, ar condicionado, televisão e, em alguns casos, até piscina privativa. Impossível não se sentir em casa. A culinária da pousada também não deixa a desejar, e entre os drinks da piscina, a caipi JR merece destaque.

Fizemos o passeio para ver a reserva de Peixe Boi e apesar do peixe não aparecer tanto assim, a trilha do caminho é linda e o mangue do passeio também. Adoramos!

Para o jantar, uma boa pedida é o Restaurante no Quintal, um espaço encantador, com ambiente maravilhoso, horta local, e um cardápio enxuto porém muito bem executado. Surpreendente. Vale a pena conhecer! 

Para quem procura um refúgio de calmaria, charme, conforto e paisagem maravilhosa, São Miguel dos Milagres é o lugar certo. Recomendo muito!

São Miguel dos Milagres

Praia do Toque

Carol Rache São Miguel dos Milagres

Pousada do Toque

A Capi JR:Caipi JR

Restaurante No Quintal:Restaurante No Quintal

Carol Rache Yoga

Carol Rache Passeio Alagoas

 Trilha para a reserva do Peixe Boi:Antonio e Netos

Os Meus Preferidos de Londres

Restaurantes Londres

Me prometi, no início do ano passado, que visitaria pelo menos um lugar novo ao ano, e consegui cumprir, em 2013. No entanto, esse ano estou enfrentando uma grande dificuldade: quero comprar passagens mensais para um destino que nada tem de desconhecido para mim. Tudo bem, eu sei que é inviável viajar todo mês, e foi exatamente por isso que surgiu a brilhante idéia de fazer as malas (minhas e dos pequenos, obviamente!) e passar três ou seis meses por lá, concretizando alguns dos milhares de cursos da minha listinha de “to do”. Tá, um pouco complicado também, eu sei. Mas ainda estou elaborando um plano brilhante para, um dia, num futuro não muito distante, voltar a ter minha casinha na capital inglesa. Enquanto isso, mato a saudade compartilhando com vocês o meu roteiro gastronômico da cidade.

E, para quem ainda acredita naquele papo de que come-se mal em Londres, eu garanto: é o lugar com opções mais diversas de boa culinária. Muita gente vai defender New York, mas na minha opinião Londres já superou a Big Apple. Paris, obviamente, é o lugar onde todo e qualquer café ou bistrô oferece comida francesa de comer de joelhos, e por isso, merece créditos. Mas se o objetivo for apreciar a cozinha de influências diversas, a dica é: vá para Londres.

Já postei dicas diversas da cidade, que podem ser encontradas clicando aqui ou ali em cima, no menu TRIPS, na categoria específica de Londres. Mas, como fui recentemente e muita coisa nova apareceu, achei legal fazer um update.

Alta Gastronomiaesses são para quem acha que programas gastronômicos são um investimento válido, e para que aprecia refeições mais sofisticadas, premiadas com estrelas Michelin. Todos os três abaixo têm duas estrelas, na escala do guia.

L’atelier de Joel Robuchon – O cardápio tem opções de “small bites”, que são porções mínimas, para que o cliente possa degustar vários sabores. É quase um menu degustação personalizado, onde cliente é quem escolhe os pratos. E para quem aprecia o tradicional “entrada, prato principal, e sobremesa”, a opção existe também. Já é um restaurante conhecido mundo afora, mas como trata-se de um dos meus preferidos no mundo (se não for O preferido), acaba sendo passagem obrigatória quando vou a Londres ou Paris. Testado e aprovado, continua maravilhoso! 

The Ledburry - Fica em Notting Hill. O ambiente é bem formal, mas se você for para almoço, é menos intimidante. Serviço impecável. Arrisquei o menu degustação e fiquei com vontade de repetir todas as mini porções. Incrível! 

Gordon Ramsay –  Alta gastronomia de muita qualidade. Já fazia algum tempo que queria conhecer o restaurante desse chef tão conceituado, mas como as reservas têm que ser feitas com muita antecedência, era sempre difícil conseguir lugares. Por um milagre, dessa vez conseguimos. Como lá também é muito formal, prefiro sempre ir no almoço e reservar as noites para ambientes mais descontraídos. De novo, fui de menu degustação. Estou até hoje sonhando (literalmente!) com alguns pratos. Amei e quero repetir sempre!

Inglês Tradicional:

The Wosley - Super tradicional e antigo, mas sem chiliques. Perfeito para um brunch. Você vai se sentir na década de 20! Recomendo o Kedgeree Caviar com Blinis, Eggs Benedict – tudo harmonizado com o Bellini delicioso que eles servem!

Italiano:

Cipriani - Super badalado, principalmente a noite. Lá você sempre corre o “risco” de encontrar alguém famoso, ou uma multidão de paparazzi na porta. A comida não deixa a desejar e o Bellini também é maravilhoso.

Zafferano - Melhor comida italiana de Londres, sem dúvida. No entanto, mais formal. Arrisque qualquer coisa do cardápio e você ficará satisfeito. Não deixe de provar o Bellini – consegue superar o do Cipriani e o do Wosley.

Japonês:

Roka - Meu queridinho. Amo tudo: Comida, cardápio, ambiente, drinks… Na minha opinião o melhor japonês de Londres. Do mesmo dono do conhecido Zuma, mas com uma atmosfera mais intimista, jovem e descontraída. Se for beber, experimente o “Elegance”, um drink feito com vodka e sorbet de limão. Perfeito!

Zuma - É como se fosse o “irmão mais velho” do Rokka. O menu tem muitas similaridades. Porém, o Zuma oferece um cardápio um pouco mais extenso e um ambiente maior, porém mais formal. Se não quiser esperar, reserve. Sempre fica lotado.

Mexicano:

La Bodega Negra – Fiquei apaixonada por esse lugar. A entrada é escondida, e você só pode descer as escadas com reserva. Isso porque, a fachada no restaurante tem a vitrine de um sex shop. Ou seja, quem passa por ali jamais imagina que no subsolo existe um lugar incrível, animado e com uma comida mexicana deliciosa. E não se assustem, não há nada relacionada a sex shop, no subsolo! Façam reserva e não deixem de provar o milho e o guacamole!

Chinês:

Yauatcha – Esse também está na lista dos meus preferidos. Trata-se de um restaurante especializado em Dim Sum, que eu amo! A casa é composta por dois andares. O superior mais chique e social, e o inferior mais descontraído, com menos formalidades e música mais alta. O cardápio é o mesmo, nos dois ambiente. Vale muito a pena conhecer!

Pizza:

Ciro’s Pomodoro – Um lugar minúsculo, escuro e underground. Música ao vivo, gente bonita e atendimento despretensioso. A pizza é ótima, mas você nem vai reparar nisso. É quase uma balada, de tão movimentado. Reserve antes, e não se espante se você tiver que dividir um pedacinho da mesa com alguém que nunca viu. Os lugares são disputados quase no tapa!

Contemporâneo:

Nopi – Nopi foi a minha grande surpresa da viagem. Um restaurante com cara de brasserie, mas cardápio com influências mediterrâneas e asiáticas. Os pratos são “to share” e por isso você consegue degustar vários sabores. Uma delicia. Com certeza virou parada obrigatória em Londres.

Hamburguer:

Patty and Bun – Hamburgueria Gourmet super premiada. Fica ao lado so Selfridges, então é uma ótima pedida para um almoço rápido pós compras. O hamburguer é delcioso, mas a casa só tem um defeito: não servem milk shakes!

 

What About Summer – Atenas

Fiquei devendo as dicas de Athenas, para finalizar o meu roteiro grego. Fiquei menos de 24hs na cidade, então não sei se tenho muito a acrescentar. Mas, de qualquer forma, acho que vale anotar os dois programas que consegui fazer por lá:

O primeiro é bem óbvio, e parada obrigatória: visita à Acropole. Para quem não conhece, a acropole de Athenas é a mais famosa do mundo, e abriga algumas das mais famosas edificações do mundo antigo, como o Partenon e o Erecteion. Ela fica aberta entre 8h e 19h30, no verão. Mas sugiro que a visita seja feita bem cedinho, ou depois das 17hs, quando o sol já está mais baixo – eu passei mal de calor, literalmente. Além disso, é indispensável roupa fresca, protetor solar, boné e um sapato confortável. Como lá em cima venta um pouquinho, é melhor evitar roupas muito leves, se não quiser correr o risco de ficar desnuda. No mais, compre uma garrafa d’água e prepare a câmera: além das construções antigas, é possível ter uma visão panorâmica de Athenas lá do alto.Athens Acropole Carol Rache

O segundo é uma dica muito boa de restaurante, o Balthazar. Uma amiga me indicou (thanks, Sil!) e foi amor à primeira vista. Isso porque o restaurante tem três ambientes lindos, super agradáveis, e fica até difícil escolher onde sentar. O cardápio tem opções leves, e uma variedade tentadora de drinks. A música é agradabilíssima e agitada na medida certa para um jantar animadinho. Recomendo super, para quem estiver de passagem pela capital grega.balthazar athens

 

 

 

What About Summer – Mykonos!

Antes de começar a contar da viagem, quero pedir desculpas pela ausência, e dizer que estou morrendo de saudades do nosso contato diário. Prometo que em breve vamos estar conectadas full time de novo.

Inspirada pela companha de fazer 2013 ser um ano diferente, resolvi incluir na minha lista “Happy New You” uma resolução que com certeza vai me transformar: visitar, todo ano, pelo menos um lugar que eu ainda não conheça. É claro que a gente pode (e deve!) ter aqueles destinos preferidos, que acabam se tornando um refúgio, uma espécie de porto seguro para renovar a alma. Mas nada acrescenta mais do que vivenciar novas culturas e perceber, de perto, o quão grande e diverso é o mundo. “Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto.”

Comecei eliminando da lista to go o que estava mais acessível e perto, Buenos Aires. E agora, embarquei nessa saga um pouco mais ousada, de conhecer países com uma bagagem histórica forte, e cultura totalmente adversa à nossa: Turquia e Grécia.
Como já terminei o roteiro grego, ficam registradas aqui as minhas impressões sobre Mykonos, e no próximo post falo sobre Athenas.

Mykonos é uma cidade do verão. A atmosfera é leve, as pessoas são easy going e todas as paisagens lindas são emolduradas por festa, música boa e drinks. O centrinho é quase um labirinto formado pelas típicas construções gregas que abrigam milhares de bares, restaurantes e lojas, que funcionam madrugada adentro e reúnem um público animado, estiloso e cheio de simpatia. 

Para quem curte o agito, o Nammos é o destino certo durante o dia. Típico beach club europeu, dá para almoçar por lá e depois estender o programa, que acaba virando uma day party onde as pistas de dança são as próprias mesas. Eu, que não sou muito fã das baladas noturnas, achei sensacional.Nammos Beach Club

Os mais calmos vão preferir curtir um almoço tranquilo no Alemagou, restaurante típico da ilha, que fica localizado numa mini praia, quase particular. Comida boa, clima relaxante e leve e um por do sol de perder o fôlego. Mesmo se você for da turma da balada, vale a pena renunciar uma tarde no Nammos para conhecer esse lugar.alemagou mykonos

As opções para a noite são inúmeras, e são tantos restaurantes que dá para querer voltar em Mykonos para ter tempo de conhecer todos. Mas segue uma lista dos que conheci, e amei:

Interni: O destino perfeito para jantar e drinks. O restaurante capta bem a atmosfera da cidade já que as mesas ficam localizadas em ambiente aberto e fazem sentir a “brisa” (para não falar vetania!) de Mykonos. A música é animada na medida certa e o cardápio variado consegue agradar a gregos e troianos. Atenção especial para a Philip’s Lemon Pie, uma torta de limão deliciosa servida de forma super original.Interni Mykonos

Katrin: Restaurante mais tradicional, instalado em uma das ruelas de Mykonos. Cardápio variado de cozinha Grega e Francesa, com ótimas opções de frutos do mar. Ideal para um jantar mais romântico.Katrin Mykonos

Mamalouka: O Mamalouka fica localizado bem perto do hot spot Little Venice, onde ficam aglomerados os bares animados da cidade. As mesas ficam dispostas num ambiente amplo e agradável, ao ar livre, com bastante verde. A cozinha tem influência mediterrânea e serve alguns pratos típicos. Destaque para o cheesecake de blueberry, que foi o melhor que já comi na vida – e olha que sou exigente com cheesecake, heim! O programa ideal é jantar lá e depois fazer um “tour” pelos bares próximos. Mamalouka Mykonos

Fiquei hospedada no Cavo Tagoo e apesar dos quartos não serem hiper luxuosos, a vista, o restaurante e a piscina fazem valer a pena a estadia. Recomendo!Cavo Tagoo Mykonos

A cidade também oferece uma variedade enorme de lojas, para todos os gostos. Desde produtos locais, até Chanel e Louis Vuitton. Vale a pena tirar um fim de tarde para percorrer os labirintos e garimpar!

“Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver”. Amyr Kline

 

Off to Europe

Como algumas de vocês já devem ter visto no instagram, estou tirando uns dias de descanso e aproveitando para matar saudades do verão europeu. Por isso, o ritmo do Blog vai ficar um pouco desacelarado nos próximos dias. Mas, prometo que cada vez que mudar de cidade, faço um guia completo do lugar onde estava antes, contando todos os detalhes para vocês. Enquanto isso, a gente vai trocando figurinhas via IG (@carolrache). Combinado? Vejo vocês por lá! #whatabouttrips #whataboutsummer 

Carol Rache Mykonos

Buenos Aires

Sempre quis conhecer Buenos Aires, mas nunca efetivei a vontade. Na correria do dia a dia, acabava sempre “empurrando” a viagem para o próximo feriado. Até que, finalmente, tirei alguns dias off e fugi para a capital do Tango. Amei!

Apesar de ter algumas regiões bem pobres e decadentes, a visita se justifica quando tiramos uma tarde para passear no charmoso Palermo, ou caminhar em Porto Madeiro. Os restaurantes, que não se limitam apenas à culinária argentina, oferecem charme e sabor em ambientes sempre agradáveis – ora requintados, ora simples e aconchegantes. As lojas são muitas, e a grande maioria marcada pelo estilo BOHO, com estoque significativo de peças em couro, e bordados característicos do artesanato local.

Fiquei apenas três noites, mas voltei com ótimas dicas! Para quem está de passagem marcada para lá, vale anotar:

Hotel:

FOUR SEASONS :

http://www.fourseasons.com/buenosaires/

Ficamos no Four Seasons, e graças ao maravilhoso serviço prestado pela Fred Tour, o hotel nos ofereceu um upgrade para a Suite Presidencial, que costuma hospedar Madonna, Mick Jagger, U2 e Robbie Williams. Nem preciso dizer que o “quarto” é um sonho, né? Me dá até saudade das acomodações quando puxo na memória, para tentar escrever. Mas, fora o conforto da suite, o hotel também marcou pelo atendimento impecável, e pela excelência das instalações, que passaram recentemente por uma reforma. O Restaurante Elena, além de lindo, oferece um cardápio tentador e vive lotado, dia e noite. E é lá o Brunch mais famosos da cidade, que atrai multidões aos Domingos.

Four Seasons PresidencialFour Seasons Buenos AiresFour Seasons Buenos Aires

Restaurantes:

CASA CRUZ:

http://www.casacruz-restaurant.com/esp.html

Culinária Internacional da melhor qualidade, num ambiente super sofisticado. Perfeito para um jantar a dois.

Casa Cruz Buenos Aires

LA CABRERA:

http://www.parrillalacabrera.com.ar/

Casa de carnes tipicamente argentina. O ambiente é super aconchegante e até eu, que nem sou fã de carnes, amei o restaurante. A comida é impecável, todos os acompanhamentos estavam incríveis, e a sobremesa foi a melhor que comi na viagem. Parada obrigatória para quem for ao Palermo.

La CabreraLa Cabrera

FAENA  EL BISTRO:

http://www.faenahotelanduniverse.com/en/restaurants/

Fomos ao tango do Faena, mas optamos por jantar no restaurante ao lado, o El Bistro. Decoração linda – o que mais pode se esperar de Philippe Starck? -, e cardápio tentador. Vale apostar na entrada de Ovo Trufado!

El Bistro Faena

Bares:

GRAND BAR DANZON:

http://www.granbardanzon.com.ar/

Para quem está procurando um bar despretensioso, com música animada e uma boa carta de drinks, este é o lugar. A decoração é linda, as opções de drinks são sensacionais, e as comidinhas – que variam de sushis a sanduíches – cumprem muito bem o papel de matar a fome e alegrar o paladar. E, além disso, a casa conta com o DJ para agitar o ambiente. Amei, e com certeza vou voltar toda vez que for a Buenos Aires!

Gran-Bar-Danzon

FAENA BAR:

http://www.faenahotelanduniverse.com/en/restaurants/

A visita ao Faena é quase obrigatória para quem está de passagem pela cidade. O hotel é maravilhoso, e oferece opções diversas de programas noturnos: tango, parrilha, restaurantes e o famoso bar, que é a opção perfeita para quem deseja estender o programa do Tango, ou simplesmente ter uma noite mais animada. Super movimentado, com drinks especiais e, se você der sorte, musica argentina ao vivo. Outro que já virou parada obrigatória.

Faena Bar

Tango:

Confesso que não fui aos outros, mas as indicações foram unânimes: o Tango do Faena é o melhor da cidade. Acreditei, fui, e comprovei a qualidade da dança. Um espetáculo imperdível!

Lojas:

São muitas lojas, mas vou listar as minhas preferidas. Quase todas têm uma pegada BOHO, com exceção da DOMA, que é especializada em couro e tem jaquetas lindíssimas. Vale clicar nos sites para escolher a que mais te atrai!

BENITO PIE:

http://benditopie.com/

DOMA LEATHER:

http://www.doma-leather.com/

RAPSODIA:

http://www.rapsodia.com/ar/2013/invierno/4/

JAZMIN CHEBAR:

http://www.jazminchebar.com.ar/

 

 

 

 

Península de Maraú – Onde ficar?

Muitas pessoas têm me perguntado sobre hospedagem em Marau, e por isso resolvi indicar os meus lugares preferidos na Península – que já foi eleita pelo guia Quatro Rodas como o lugar eco-turístico mais bonito do Brasil. Situada no sul da Bahia, entre o Oceano Atlântico e a Baía de Camamu, a região abriga um cenário que reúne Mata Atlântica, cachoeiras e muitas praias. A mais conhecida é a de Barra Grande – um vilarejo com pousadas simples e charmosas que reunem turistas duranto o ano todo, e principalmente no verão. Não é o meu destino preferido, ainda que seja o mais popular.

Não muito longe de lá, fica Taipus de Fora, uma das praias mais procuradas da região. São mais de 7 km de extensão enfeitados por coqueiros gigantes e águas claras, além das imensas piscinas naturais que se formam entre os recifes de corais, propícias ao mergulho livre. Um lugar lindo, que merece ser visitado.

A minha praia preferida é a de Algodões, uma paisagem quase deserta de areia fina e coqueirais, que permanece vazia mesmo em alta temporada. Não sou fã de areia muito cheia, e por isso aprecio o sossego e a tranquilidade desse lugar. E, para completar o cenário, vale lembrar que Algodões abriga o Tikal, bar de praia que já se tornou referência na península pela qualidade da música, drinks e gastronomia. Além de funcionar durante o dia como restaurante, o lugar ainda abriga festas, shows e os famosos Luais. Ou seja: em algodões é possível ter os privilégios de uma praia deserta e o desfrute do melhor agito da região. Por isso, na minha (humilde) opinião, é sempre melhor priorizar hotéis e pousadas que fiquem por ali, entre Algodões e Saquaíra.

Onde ficar:

Pousada Butterfly House: Inspirada em projetos ecológicos e conceitos internacionais, a Butterfly House mistura elementos artesanais do Marrocos com a delicadeza de antigos móveis francese. Os Bangalôs oferecem acomodações charmosas e confortáveis, e o restaurante disponibiliza um cardápio (tentador!) de fusão eclética das cozinhas francesa, mediterrânea, asiática, inglesa e regional. Para os que procuram uma acomodação charmosa e reservada, esse é o lugar certo.

Butterfly House MarauButterfly House Marau Bangalô

Kiaroa: O famoso Resort garante conforto, estrutura e sofisticação nas 25 hospedagem que oferece. Bem diferente da experiência de uma pousada, o hotel tem 240.000 m2,  quadras de tênis e vôlei, pista de pouso, restaurante, piscinas privativas e uma piscina comunitária de 800m2, com borda infinita. Para uma viagem em familia, com crianças, é uma boa opção!

Kiaroa MarauKiaroa Resort Marau

 

O Meu Reveillon – Tikal Praia Bar

Tikal Prai Bar Península MaraúTenho recebido várias perguntas no instagram e email, sobre MaraúEstive lá essa semana para ajudar a minha mãe a organizar algumas coisas na nossa casa e no Tikal, bar que meu irmão inaugura logo após o Natal, para abrigar as festas de verão da península. A vontade era de estender a visita e voltar só depois do Carnaval, mas como ainda temos alguns dias úteis antes do descanso, cá estou, de volta às funções.

Para quem não conhece, a Península de Maraú é onde fica o vilarejo de Barra Grande e as piscinas naturais de Taipú de fora. Vizinha de Itacaré e situada entre o oceano e a Bahia de Camamú, 3a maior bahia hidrográfica do Brasil. A dica hoje é para os atrasados, que ainda não decidiram o destino de férias, e para os que já se programaram para passar alguns dias nas redondezas:

O Tikal Praia Bar (antigo Sobrenatural) fica na Praia dos Algodões, a 30 minutos de carro de Barra Grande, 20 minutos de Taipú de Fora e 30 minutos de Itacaré. Em 2013, o Tikal ficará aberto todos os dias do verão, oferecendo boa música, Dj residente internacional (Monsier M. da Grécia) e um cardápio cuidadosamente elaborado com ingredientes locais frescos, com pratos elaborados pelo renomado Cheff Mauro Bernardes (Restaurante Ficus). E vai ser lá a festa de Reveillon mais animada da península! Open Bar e Food, e um line up que promete animar até os mais pacatos: além de Monsier M., o bar apresenta um dos nomes mais forte do FABRIC (Londres), o Dj e Produtor GIOM. Além do carioca Bernardo Campos – aka Toucan – e Gabriel Rache, DJ e proprietário do Tikal. 

Marau TikalTikal Marau

O segundo lote de vendas vai até amanhã, dia 21. Para garantir a sua presença, basta mandar email para tikalpraiabar@gmail.com. 

Nos vemos por lá!