UNITY7 por Carol Rache – Lookbook

Como já havia dito aqui, sempre tive vontade de criar e customizar roupas, então fiquei muito feliz ao receber o convite da UNITY7 para desenvolver uma coleção com a minha cara. O resultado ficou incrível e eu não poderia deixar de mostrar pra vocês as fotos que fiz para a marca, em Tulum. 

Clique nas fotos para comprar cada look:

 

Todas as peças estão disponíveis no site da marca.

www.unity7.com.br

Tulum

Na semana passada, estive em Tulum, no México, para fazer umas fotos de uma marca nova, que em breve vou contar por aqui. Aproveitei para estender um pouquinho e tirar uns dias para descansar. O lugar é lindo, e o mar nessa época do ano fica especialmente verde e translúcido. Uma das paisagens mais lindas que já vi. Recomendo para quem quer descansar, para casais em lua de mel e até para levar crianças, já que as águas são super calmas e transparentes, e a região é bem sossegada.

Algumas pessoas que me pediram dicas, então elaborei um roteiro com algumas:

A primeira é levar dinheiro, em espécie, pois os restaurantes não aceitam cartão de crédito e isso pode complicar a vida de quem, como eu, sempre conta com seu MasterCard. Não menos importante, é a sugestão de alugar um carro. A parte “trendy” de Tulum se resume, basicamente, a uma praia e uma rua. Porém, a caminhada da pousada até um restaurante mais afastado pode levar até 50 minutos, o que fica um pouco complicado a noite, já que a estradinha não tem iluminação e inviável de dia, dependendo da intensidade do sol (la é muuuito quente nessa época do ano).

Hotéis:

Escolhi o Be Tulum, mas fiquei bem dividida entre ele e o Coqui Coqui, que são considerados os melhores. Não me arrependi da escolha, porque além dos quartos e serviços do hotel serem muito bons, o Be Tulum ainda tem um restaurante na praia, com programações diárias de músicas, luais, Djs e etc. A parte de praia do Coqui Coqui não é tão completa. No entanto, os quartos são lindos e na próxima visita a Tulum (sim, já estou pensando em voltar!) vou querer me hospedar lá para conhecer.

Be Tulum HotelBe Tulum HotelCoqui Coqui Tulum Mexico

Restaurantes:

Os restaurantes abrem por volta de 18hs, e a cozinha costuma fechar bem cedo. Não aceitam reserva e, dependendo do horário, prepare-se para esperar. A dica é sair para jantar cedo!

Casa Banana: Na minha opinião, o melhor restaurante de Tulum. Cardápio de drinks deliciosos, múscia boa e animada, serviço ótimo e comida muito gostosoa. Uma pena ter ido lá na última noite, caso contrário teria repetido. www.casabananatulum.comCasa Banana Tulum

Hartwood: Lugar rústico, charmoso, de luz baixa, com um menu reduzido mas muito bem preparado. Super agradável, mas costuma ficar bastante cheio! www.hartwoodtulum.comHartwood Tulum

Posada Margherita: O restaurante da pousada é uma casa de massas, quase na beira da praia. Massas frescas e deliciosas, mas pratos enormes (nunca vi um prato de tagliatelle tão grande na vida!). www.posadamargherita.com

Simple: O Simple é um restaurante especializado em frutos do mar, apesar de também servir carne. O melhor de lá são as pescas frescas, então não invente muita moda: escolha o peixe do dia e um bom acompanhamento para ser feliz!

Passeios:

Mergulho: Fizemos o mergulho nos cenotes mas, para ser muito honesta, não amei. Não dá para negar que é lindo, mas achei repetitivo para tanto tempo de passeio, já que o fundo das grutas é praticamente igual o tempo todo, e não tem muita vida. Se estiver com bastante tempo, é legal fazer. Mas não crie tanta expectativa quanto prometem os guias.

Caraiva e Trancoso

Como vocês devem ter visto no instagram, tirei os últimos dias para descansar, e por isso me desconectei um pouquinho daqui. A idéia era aproveitar momentos em família, por isso, para não cair em tentação, esqueci o laptop pra trás, e mantive contato com a civilização apenas pelo Iphone. Voltei relaxada, renovada e leve!

Em tempo, peço desculpas pelo “abandono”, e aproveito para contar um pouquinho sobre a viagem.

Caraiva:

Escolhi um destino rústico, charmoso e bem distante da civilização urbana. Para quem não conhece, Caraiva é um vilarejo escondido em uma península no sul da Bahia, onde carros não entram, a energia elétrica é escassa e o ritmo de vida é bem diferente do que estamos acostumados. O meio de transporte mais moderno por lá são as carroças, que, por sinal, os pequenos adoraram! A interação das pessoas entre sí e com a natureza são a maior preciosidade dessa terra linda, que, de brinde, ainda oferece uma paisagem encantadora e serena, onde Mar e Rio se encontram. Wifi por ali é coisa rara, e sinal de telefone só com muita sorte. Lugar perfeito para relaxar e desconectar!

Caraiva CarroçaBarra do Rio Caraiva

Bar do Porto:

Uma Pizzaria super charmosa, com atendimento gentil, musica boa e sabores deliciosos. Para mim, um dos lugares mais agradáveis para sentar e curtir a noite “caraivana”.

Cachaçaria:

Uma ótima opção para jantar, com massas e sanduíches deliciosos. O frozen de Busca Vida servido pela casa é famoso, mas só servido no verão. Na falta dele, aproveite para degustar o Netuno, uma bebida típica da região.

Boteco do Pará:

Melhor almoço de Caraíva. Lugar agradável, com árvores e mesas de madeira na beira do rio. Um cardápio tentador de pastéis – o mais famoso é o de Arraia! -, e ótimas opções de pratos com frutos do amor. Provei o arroz de Polvo e estou com água na boca até hoje!  Para ver o site, cliquei aqui.

Boteco do Pará

Duca:

A Duca serve, há anos, o melhor café da manhã da vila. Geléias caseiras, pães integrais, sucos e várias delícias orgânicas. E é ali também que se encontra a famosa “Nega Maluca”, uma receita secreta que combina brigadeiro, mousse de chocolate e banana. Mas, aos amantes de doce, sugiro agilidade: o estoque costuma esgotar antes do fim da tarde!

Praia do Espelho:

A Praia do Espelho fica entre os povoados de Trancoso e Caraíva e é famosa por ser uma das mais bonitas do Brasil. Por lá, a melhor opção de programa é sentar no Baiano para relaxar, apreciar petiscos e ver um pouquinho de movimento (se quiser evitar o enxame de excursões, prefira ir na baixa temporada) e depois almoçar na Silvinha, que tem um pequeno restaurante maravilhoso e super agradável numa região mais deserta, que fica entre o mangue a praia. 

* Para almoçar na Silvinha, deve-se reservar antes por telefone: (73) 9191-5183

Fizemos o trajeto de lancha (15 min para ir, e mais 15 para voltar) e passamos uma tarde super agradável.

Silvinha Espelho Restaurante

Trancoso:

No Domingo, Caraiva amanheceu debaixo de chuva e o quarto da nossa pousada com várias goteiras, então resolvemos migrar para Trancoso. Escolhemos a Pousada Estrela D’água, que fica na beira da praia e tem uma estrutura super completa, além de um atendimento maravilhoso. Passamos duas noites lá, e nem conseguimos subir para passear no quadrado, tamanha satisfação com as acomodações. Recomendo muito!

 

São Miguel Dos Milagres

Resolvi desconectar por uns dias, e tirar um tempo para fazer nada, além de descansar e curtir meus filhos. Pensei em vários lugares, pesquisei, perguntei e, por fim, depois de muita busca, acabei escolhendo São Miguel dos Milagres, que fica há pouco mais de uma hora de Maceió. Muitas pessoas me alertaram ao fato de o lugar não ter uma estrutura muito montada para crianças. Isso é, o lugar não tem parques, toboáguas e nem milhares de crianças correndo pelos arredores. Mas tem uma praia linda, sossegada, com um mar verde, quente e tão calmo que mais parece uma jacuzi. Confesso que a grande maioria dos nossos vizinhos de hospedagem na Pousada do Toque eram adultos, mas tanto os hóspedes quanto o staff da pousada foram super hospitaleiros com a gente.

A pousada fica a beira mar, e é, ao mesmo tempo, super rústica e confortável. Acomodações cheias de charme, com lençóis maravilhosos, ar condicionado, televisão e, em alguns casos, até piscina privativa. Impossível não se sentir em casa. A culinária da pousada também não deixa a desejar, e entre os drinks da piscina, a caipi JR merece destaque.

Fizemos o passeio para ver a reserva de Peixe Boi e apesar do peixe não aparecer tanto assim, a trilha do caminho é linda e o mangue do passeio também. Adoramos!

Para o jantar, uma boa pedida é o Restaurante no Quintal, um espaço encantador, com ambiente maravilhoso, horta local, e um cardápio enxuto porém muito bem executado. Surpreendente. Vale a pena conhecer! 

Para quem procura um refúgio de calmaria, charme, conforto e paisagem maravilhosa, São Miguel dos Milagres é o lugar certo. Recomendo muito!

São Miguel dos Milagres

Praia do Toque

Carol Rache São Miguel dos Milagres

Pousada do Toque

A Capi JR:Caipi JR

Restaurante No Quintal:Restaurante No Quintal

Carol Rache Yoga

Carol Rache Passeio Alagoas

 Trilha para a reserva do Peixe Boi:Antonio e Netos

Os Meus Preferidos de Londres

Restaurantes Londres

Me prometi, no início do ano passado, que visitaria pelo menos um lugar novo ao ano, e consegui cumprir, em 2013. No entanto, esse ano estou enfrentando uma grande dificuldade: quero comprar passagens mensais para um destino que nada tem de desconhecido para mim. Tudo bem, eu sei que é inviável viajar todo mês, e foi exatamente por isso que surgiu a brilhante idéia de fazer as malas (minhas e dos pequenos, obviamente!) e passar três ou seis meses por lá, concretizando alguns dos milhares de cursos da minha listinha de “to do”. Tá, um pouco complicado também, eu sei. Mas ainda estou elaborando um plano brilhante para, um dia, num futuro não muito distante, voltar a ter minha casinha na capital inglesa. Enquanto isso, mato a saudade compartilhando com vocês o meu roteiro gastronômico da cidade.

E, para quem ainda acredita naquele papo de que come-se mal em Londres, eu garanto: é o lugar com opções mais diversas de boa culinária. Muita gente vai defender New York, mas na minha opinião Londres já superou a Big Apple. Paris, obviamente, é o lugar onde todo e qualquer café ou bistrô oferece comida francesa de comer de joelhos, e por isso, merece créditos. Mas se o objetivo for apreciar a cozinha de influências diversas, a dica é: vá para Londres.

Já postei dicas diversas da cidade, que podem ser encontradas clicando aqui ou ali em cima, no menu TRIPS, na categoria específica de Londres. Mas, como fui recentemente e muita coisa nova apareceu, achei legal fazer um update.

Alta Gastronomiaesses são para quem acha que programas gastronômicos são um investimento válido, e para que aprecia refeições mais sofisticadas, premiadas com estrelas Michelin. Todos os três abaixo têm duas estrelas, na escala do guia.

L’atelier de Joel Robuchon – O cardápio tem opções de “small bites”, que são porções mínimas, para que o cliente possa degustar vários sabores. É quase um menu degustação personalizado, onde cliente é quem escolhe os pratos. E para quem aprecia o tradicional “entrada, prato principal, e sobremesa”, a opção existe também. Já é um restaurante conhecido mundo afora, mas como trata-se de um dos meus preferidos no mundo (se não for O preferido), acaba sendo passagem obrigatória quando vou a Londres ou Paris. Testado e aprovado, continua maravilhoso! 

The Ledburry - Fica em Notting Hill. O ambiente é bem formal, mas se você for para almoço, é menos intimidante. Serviço impecável. Arrisquei o menu degustação e fiquei com vontade de repetir todas as mini porções. Incrível! 

Gordon Ramsay –  Alta gastronomia de muita qualidade. Já fazia algum tempo que queria conhecer o restaurante desse chef tão conceituado, mas como as reservas têm que ser feitas com muita antecedência, era sempre difícil conseguir lugares. Por um milagre, dessa vez conseguimos. Como lá também é muito formal, prefiro sempre ir no almoço e reservar as noites para ambientes mais descontraídos. De novo, fui de menu degustação. Estou até hoje sonhando (literalmente!) com alguns pratos. Amei e quero repetir sempre!

Inglês Tradicional:

The Wosley - Super tradicional e antigo, mas sem chiliques. Perfeito para um brunch. Você vai se sentir na década de 20! Recomendo o Kedgeree Caviar com Blinis, Eggs Benedict – tudo harmonizado com o Bellini delicioso que eles servem!

Italiano:

Cipriani - Super badalado, principalmente a noite. Lá você sempre corre o “risco” de encontrar alguém famoso, ou uma multidão de paparazzi na porta. A comida não deixa a desejar e o Bellini também é maravilhoso.

Zafferano - Melhor comida italiana de Londres, sem dúvida. No entanto, mais formal. Arrisque qualquer coisa do cardápio e você ficará satisfeito. Não deixe de provar o Bellini – consegue superar o do Cipriani e o do Wosley.

Japonês:

Roka - Meu queridinho. Amo tudo: Comida, cardápio, ambiente, drinks… Na minha opinião o melhor japonês de Londres. Do mesmo dono do conhecido Zuma, mas com uma atmosfera mais intimista, jovem e descontraída. Se for beber, experimente o “Elegance”, um drink feito com vodka e sorbet de limão. Perfeito!

Zuma - É como se fosse o “irmão mais velho” do Rokka. O menu tem muitas similaridades. Porém, o Zuma oferece um cardápio um pouco mais extenso e um ambiente maior, porém mais formal. Se não quiser esperar, reserve. Sempre fica lotado.

Mexicano:

La Bodega Negra – Fiquei apaixonada por esse lugar. A entrada é escondida, e você só pode descer as escadas com reserva. Isso porque, a fachada no restaurante tem a vitrine de um sex shop. Ou seja, quem passa por ali jamais imagina que no subsolo existe um lugar incrível, animado e com uma comida mexicana deliciosa. E não se assustem, não há nada relacionada a sex shop, no subsolo! Façam reserva e não deixem de provar o milho e o guacamole!

Chinês:

Yauatcha – Esse também está na lista dos meus preferidos. Trata-se de um restaurante especializado em Dim Sum, que eu amo! A casa é composta por dois andares. O superior mais chique e social, e o inferior mais descontraído, com menos formalidades e música mais alta. O cardápio é o mesmo, nos dois ambiente. Vale muito a pena conhecer!

Pizza:

Ciro’s Pomodoro – Um lugar minúsculo, escuro e underground. Música ao vivo, gente bonita e atendimento despretensioso. A pizza é ótima, mas você nem vai reparar nisso. É quase uma balada, de tão movimentado. Reserve antes, e não se espante se você tiver que dividir um pedacinho da mesa com alguém que nunca viu. Os lugares são disputados quase no tapa!

Contemporâneo:

Nopi – Nopi foi a minha grande surpresa da viagem. Um restaurante com cara de brasserie, mas cardápio com influências mediterrâneas e asiáticas. Os pratos são “to share” e por isso você consegue degustar vários sabores. Uma delicia. Com certeza virou parada obrigatória em Londres.

Hamburguer:

Patty and Bun – Hamburgueria Gourmet super premiada. Fica ao lado so Selfridges, então é uma ótima pedida para um almoço rápido pós compras. O hamburguer é delcioso, mas a casa só tem um defeito: não servem milk shakes!

 

What About Summer – Atenas

Fiquei devendo as dicas de Athenas, para finalizar o meu roteiro grego. Fiquei menos de 24hs na cidade, então não sei se tenho muito a acrescentar. Mas, de qualquer forma, acho que vale anotar os dois programas que consegui fazer por lá:

O primeiro é bem óbvio, e parada obrigatória: visita à Acropole. Para quem não conhece, a acropole de Athenas é a mais famosa do mundo, e abriga algumas das mais famosas edificações do mundo antigo, como o Partenon e o Erecteion. Ela fica aberta entre 8h e 19h30, no verão. Mas sugiro que a visita seja feita bem cedinho, ou depois das 17hs, quando o sol já está mais baixo – eu passei mal de calor, literalmente. Além disso, é indispensável roupa fresca, protetor solar, boné e um sapato confortável. Como lá em cima venta um pouquinho, é melhor evitar roupas muito leves, se não quiser correr o risco de ficar desnuda. No mais, compre uma garrafa d’água e prepare a câmera: além das construções antigas, é possível ter uma visão panorâmica de Athenas lá do alto.Athens Acropole Carol Rache

O segundo é uma dica muito boa de restaurante, o Balthazar. Uma amiga me indicou (thanks, Sil!) e foi amor à primeira vista. Isso porque o restaurante tem três ambientes lindos, super agradáveis, e fica até difícil escolher onde sentar. O cardápio tem opções leves, e uma variedade tentadora de drinks. A música é agradabilíssima e agitada na medida certa para um jantar animadinho. Recomendo super, para quem estiver de passagem pela capital grega.balthazar athens

 

 

 

What About Summer – Mykonos!

Antes de começar a contar da viagem, quero pedir desculpas pela ausência, e dizer que estou morrendo de saudades do nosso contato diário. Prometo que em breve vamos estar conectadas full time de novo.

Inspirada pela companha de fazer 2013 ser um ano diferente, resolvi incluir na minha lista “Happy New You” uma resolução que com certeza vai me transformar: visitar, todo ano, pelo menos um lugar que eu ainda não conheça. É claro que a gente pode (e deve!) ter aqueles destinos preferidos, que acabam se tornando um refúgio, uma espécie de porto seguro para renovar a alma. Mas nada acrescenta mais do que vivenciar novas culturas e perceber, de perto, o quão grande e diverso é o mundo. “Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto.”

Comecei eliminando da lista to go o que estava mais acessível e perto, Buenos Aires. E agora, embarquei nessa saga um pouco mais ousada, de conhecer países com uma bagagem histórica forte, e cultura totalmente adversa à nossa: Turquia e Grécia.
Como já terminei o roteiro grego, ficam registradas aqui as minhas impressões sobre Mykonos, e no próximo post falo sobre Athenas.

Mykonos é uma cidade do verão. A atmosfera é leve, as pessoas são easy going e todas as paisagens lindas são emolduradas por festa, música boa e drinks. O centrinho é quase um labirinto formado pelas típicas construções gregas que abrigam milhares de bares, restaurantes e lojas, que funcionam madrugada adentro e reúnem um público animado, estiloso e cheio de simpatia. 

Para quem curte o agito, o Nammos é o destino certo durante o dia. Típico beach club europeu, dá para almoçar por lá e depois estender o programa, que acaba virando uma day party onde as pistas de dança são as próprias mesas. Eu, que não sou muito fã das baladas noturnas, achei sensacional.Nammos Beach Club

Os mais calmos vão preferir curtir um almoço tranquilo no Alemagou, restaurante típico da ilha, que fica localizado numa mini praia, quase particular. Comida boa, clima relaxante e leve e um por do sol de perder o fôlego. Mesmo se você for da turma da balada, vale a pena renunciar uma tarde no Nammos para conhecer esse lugar.alemagou mykonos

As opções para a noite são inúmeras, e são tantos restaurantes que dá para querer voltar em Mykonos para ter tempo de conhecer todos. Mas segue uma lista dos que conheci, e amei:

Interni: O destino perfeito para jantar e drinks. O restaurante capta bem a atmosfera da cidade já que as mesas ficam localizadas em ambiente aberto e fazem sentir a “brisa” (para não falar vetania!) de Mykonos. A música é animada na medida certa e o cardápio variado consegue agradar a gregos e troianos. Atenção especial para a Philip’s Lemon Pie, uma torta de limão deliciosa servida de forma super original.Interni Mykonos

Katrin: Restaurante mais tradicional, instalado em uma das ruelas de Mykonos. Cardápio variado de cozinha Grega e Francesa, com ótimas opções de frutos do mar. Ideal para um jantar mais romântico.Katrin Mykonos

Mamalouka: O Mamalouka fica localizado bem perto do hot spot Little Venice, onde ficam aglomerados os bares animados da cidade. As mesas ficam dispostas num ambiente amplo e agradável, ao ar livre, com bastante verde. A cozinha tem influência mediterrânea e serve alguns pratos típicos. Destaque para o cheesecake de blueberry, que foi o melhor que já comi na vida – e olha que sou exigente com cheesecake, heim! O programa ideal é jantar lá e depois fazer um “tour” pelos bares próximos. Mamalouka Mykonos

Fiquei hospedada no Cavo Tagoo e apesar dos quartos não serem hiper luxuosos, a vista, o restaurante e a piscina fazem valer a pena a estadia. Recomendo!Cavo Tagoo Mykonos

A cidade também oferece uma variedade enorme de lojas, para todos os gostos. Desde produtos locais, até Chanel e Louis Vuitton. Vale a pena tirar um fim de tarde para percorrer os labirintos e garimpar!

“Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver”. Amyr Kline

 

Off to Europe

Como algumas de vocês já devem ter visto no instagram, estou tirando uns dias de descanso e aproveitando para matar saudades do verão europeu. Por isso, o ritmo do Blog vai ficar um pouco desacelarado nos próximos dias. Mas, prometo que cada vez que mudar de cidade, faço um guia completo do lugar onde estava antes, contando todos os detalhes para vocês. Enquanto isso, a gente vai trocando figurinhas via IG (@carolrache). Combinado? Vejo vocês por lá! #whatabouttrips #whataboutsummer 

Carol Rache Mykonos