Amarelo & Preto

Uma camisa que poderia ser básica, uma calça que poderia ser nada. A diferença fica por conta dos detalhes: nos punhos, renda e a amarração trazem feminilidade. Nas pernas, o plissado do tecido confere charme e sofisticação. E, para compor o resultado – que já seria lindo, ainda que ficasse só no duo de calça e camisa preta-, um colete chique, moderno e que traz, mais uma vez, essa combinação de cores que tanto amo! 

Carol Rache

Carol Rache Foto Renata CamposCarol Rache BlogDetalhes Carol RacheCarol Rache What About

Carol Rache Sorriso

Renata Campos por Carol Rache

Renata Campos

Carol Rache para Renata Campos

Carol Rache Foto Luiza Ferraz

Carol Rache Cabelo

Look Renata Campos

Ph: Luiza Ferraz | Make: Paulinho (Douglas Coiffeur)

Macaquinho Renata Campos

Falando sério, já vi e revi essas fotos milhares de vezes e o meu amor por esse macaquinho da Renata Campos não para de crescer! As cores, os detalhes de renda, o corte… Tudo numa sintonia perfeita para deixar uma produção que poderia ser básica, cheia de elegância e charme. Sem falar nessa combinação mágica de preto com amarelo. Simplesmente apaixonada por ele! 

Renata Campos marca Carol Rache

Carol Rache
Carol Rache Macaquinho Renata Campos

Carolina Rache

Detalhes Blog What AboutCarol Rache e Renata Campos

Carol Rache Blog

Renata Campos Carol Rache

Detalhes Carol Rache

Caro Rache Foto

Inverno da La Ví

Já falei um pouquinho da coleção de Inverno da La Ví, marca mineira linda que anda chamando atenção das moças descoladas e que lança, hoje, mais uma edição da La Ví Mag. A publicação acontece a cada estação e, traz, além de editoriais lindos, todas as tendências para o inverno que se aproxima. Para celebrar esse lançamento, nada mais justo do que compartilhar alguns looks da marca que escolhi para apresentar na revista!

Carol Rache para Laví Bh

Carol Rache La VíLaví Carol Rache

Ph: Eduardo Bravin

O Drama da Ex

exnamorada

Consta no manual de regras sociais que ex namoradas dos nossos respectivos devem ser, automaticamente, nossas inimigas. Quem nunca torceu o nariz para a nova namorada do ex, ou para a ex do novo namorado? Faz parte do protocolo, e a “richa” é, na maioria das vezes, um fenômeno que não precisa de muitas razões para ser desencadeado. Existe, porque existe. Afinal, nada mais natural que todos os amores que passaram por um homem antes ou depois da gente sejam desprezíveis e dignos de antipatia. Né?

Not so sure…

A verdade é que esse ritual de fogos cruzados raramente se justifica. Se tudo correu dentro da normalidade, a nova namorada do seu ex começou uma história com um cara solteiro, livre e desimpedido, e, provavelmente, nada teve a ver com o rompimento de vocês. Sim, ele tinha um passado. Mas quem não tem? Quantos, dos romances que você já teve, eram  isentos de amores antigos? Você também já ocupou um assento livre no coração de alguém sem se importar por quem aquela cadeira havia sido usada antes. E isso não faz de você uma megera. Assim sendo, não deveria ser, a próxima escolhida do seu ex amor, categorizada como tal.

Você não precisa gostar, e nem desgostar. Ou pode, até, escolher uma das duas opções. Mas que seja por quem a pessoa é, e não pela posição que ocupa, ou ocupou, na vida do fulano. Até entendo que, em casos de infidelidade, o desgosto se faça inevitável. O mesmo serve para quebra de lealdade entre amigas, ou para ex namoradas pentelhas que insistem em se fazer presente. Mas, fora isso, a neutralidade é sempre o caminho mais lógico.

Pode ser que você nunca precise ter nenhuma relação com a pessoa, ou pode ser que as circunstâncias as façam conviver. Nesse caso, se o campo for neutro, a batalha deixa de existir e abre espaço para uma relação madura e cordial, que não precisa, necessariamente, se transformar em nada íntimo. Mas, nada impede que, por afinidades, amizades em comum e corações bem resolvidos, você consiga tecer uma simpatia sincera por alguém que já passou pelos mesmos braços que te envolvem.

Já fui do tipo que procurava qualquer defeito para hostilizar as ex dos meus ex. Já fui alvo de ex namorada pentelha. E já devo ter chamado (mentalmente) muita gente por nomes nada educados. Mas é natural que as pessoas cresçam, amadureçam e comecem a focar suas energias no que realmente interessa. E, se até os crimes reais prescrevem em cinco anos, bobagens desse tipo devem também expirar e serem mantidas passado, com o respaldo da imaturidade que as fez existir.

Talvez seja tão fácil levantar essa bandeira porque a vida foi bem generosa comigo, nesse aspecto. A grande maioria das experiências que tive foi positiva, e uma das amigas mais queridas que tenho hoje também já ocupou o papel de “nova namorada do meu ex”. E sempre, depois dos encontros com ela, me pergunto quanta energia boa eu teria deixado de lado se tivesse ficado engessada na birra ignorante que a expectativa alheia nos “cobrava”.

Por essas e por outras, hoje dispenso os comentários maldosos e desconfiados de quem ainda prefere manter a rivalidade pelo passado e futuro dos namorados. Roubando as palavras da Martha Medeiros, vale lembrar que: Ex é um direito adquirido. Chegou antes. Tem privilégios. Merece respeito.”

O que já foi vivido, curtido e enterrado, não é, nem de longe, tão ameaçador quanto as tentações vivas e cheias do frescor da novidade. Mantenha o que passou no devido museu das memórias “enterradas”. Afinal, esses fantasmas só assombram quando resolvemos dar vida a eles. E não há nada mais glorificante para uma ex pentelha do que constatar a sua importância através do desafeto da namorada atual.

O segredo é substituir rivalidade por maturidade: Indiferença a quem não merece atenção, e simpatia para quem for digno desta.