Londres por Silvia Gomide

Por que Londres? 

Porque londres é a capital do mundo. São os melhores restaurantes, bares, hotéis, programas culturais e negócios. A cidade ferve – por mais fria e cinzenta que seja. As pessoas vão a londres fazer – ou estudar como fazer – dinheiro. Portanto está regada de opções tanto para os que estão afim de engrossar a conta bancária (Londres econômico), como para quem pretende gastar com qualidade. E, mais do isso, Londres é a melhor escola do mundo. Lá você aprende a conviver com todos os tipos de pessoas; você sente a mistura de culturas em todos os lugares. Cada esquina virada é uma novidade, é uma aula de história, é uma etnia e uma surpresa! É como pegar o mundo inteiro e bater em um liquidificador!!!

Quando ir? 

Eu gosto de Londres com o clima mais fresquinho. Acho a cidade despreparada para o calor de 40 graus que – acreditem ou não – os termômetros chegam a marcar no verão. Mas o calor intenso dura no máximo um mês, e por isso a cidade não é equipada para se refrescar. Portanto, guarde os seus dias de verão para as praias gregas ou para um passeio pela Costa Amalfitana. Vá a Londres em busca de aventuras com seu casaco!

Com quem ir?

Sozinho ou muito bem acompanhado, não importa. Mas quando chegar, conecte-se. Conhecer as pessoas certas vai te levar ao caminho que mais combina com você e com suas vontades. Quando sair, esteja aberto (a) para fazer amizades e conversar com pessoas. Não faça o tipo “inatingível”, porque nariz empinado não vai te levar a lugar nenhum. Se interesse por novos assuntos, descubra novas pessoas e experimente se interessar pela vida e pela cultura delas. Dessa forma você irá fazer contatos e amizades que podem mudar completamente o rumo da sua viagem. Pense bem: quem freqüenta lugar legal nem sempre caiu lá de para-quédas. As pessoas tem amigos, que tem amigos, que conhecem o dono da boate, o cara da porta, o hostess, etc…dessa forma você ficará bem conectado e chegará ao tipo de programa que combina com vc. Se você é alternativo, vai acabar conhecendo alguém com papo interessante, que vai tar a dica daquele show super bacana não foi divulgado, mas que tem tudo a ver com você. Se você é da turma da balada, pode acabar esbarrando num promoter que vai te dizer onde é o after-party mais disputado, e ainda conseguir todas as facilidades para que você consiga entrar na festa. Se você é cult, vai com certeza cruzar com alguém para te apresentar artistas e indicar exposições e eventos que jamais estarão disponíveis na Time Out. Seja simpático, faça elogios, faça amizades e anote telefones. A maioria das pessoas em Londres não nasceu na cidade, e não vivem lá com suas famílias. Por isso, no fundo, são sempre carentes e em busca de novos amigos. Conhecí POUQUÍSSIMOS ingleses em Londres. As pessoas que estão lá querem construir amizades, fazer contatos profissionais, aderir novas culturas ao seu modo de vida… Por isso não hesite: vá com sede ao pote! Os ”Londrinos” certamente estão interessados em te conhecer.

Ideal para? 

Estudar, jantar bem, badalar e comprar. Não vá a Londres com o intuito de encontrar um amor. (Essa informação precisaria de um texto a parte, para ser explicada em detalhes!)

Onde ficar? 

Na minha opnião o hotel mais bem localizado de Londres (claro que a localização depende do que você procura) é o Brown’s Hotel. O hotel é muito chique e pequeno, fazendo com que o tratamento sejam bem personalizado. MAS, como eu disse, tudo depende do clima em que você se encontra.

Browns Hotel

O Sanderson Hotel é outra opção que me agrada MUITO, porque é um hotel ULTRA moderno. Além da academia, tem Nintendo WII no quartos com vários jogos de ginástica (moderno nesse nível!), quadro pendurado no teto, um bar bem animado na recepção -Long Bar – e outro bar incrível e mais reservado,  o Purple Bar: restrito apenas para hóspedes. Serve a melhor vodka aromatizada que eu já tomei na vida: Ultimat Chocolate Vanilla Vodka.

Long Bar Sanderson HotelPurple Bar

O Saint Martin’s Lane Hotel é do mesmo grupo do Sanderson – Morgan’s Group. Ficar nele também é muito bom, porque além de ter um dos bares mais glamurosos – e coloridos –  que eu já fui, o Light Bar, tem também uma das baladas mais sinistras que já fui: O Bungalow 8. Mas não se anime muito… é preciso uma boa dose de sorte para conseguir entrar. Eu fui sortuda duas vezes na vida:  Na primeira, estava bebendo com um amigo (em um bar que forma mixologistas) que estava com um embaixador da Sagatiba e tinha contatos fortes; na outra estava bebendo no Light Bar (faça reserva!) com a Angel e minha linda amiga Carol – e quem ousa não deixa-la entrar??? Kkkkkk! Se hospedar no hotel já é um elemento facilitador, mas o club normalmente é members only – é minúsculo também e por isso muito bem selecionado.

Light BarBungalow 8

Programas culturais? 

Pegar um carro e passar um dia passeando aonde fica o Windsor Castle (de preferência com um motorista ou um amigo que more por la e tenha carro – eu não me arrisquei no volante lá). E, conhecer melhor novas cidades que visito, sempre faço um passeio nos ônibus de city tour, que passam pro todos os lugares que não podem deixar de ser vistos.

Restaurantes? 

Sempre quando alguém me pergunta dicas de restaurantes em Londres a minha primeira dica de todas é: reserve algum tempo (e espaço no estômago) para se aventurar na praça de alimentação do Harrods. Saboreie uma colherzinha de caviar no Caviar Bar com um shot de vodka ou uma taça de champagne, depois vá no balcão do lado provar ostras frescas e, assim, faça um tour geral! Passeie por todas as opções e se permita provar um pouco de tudo. Vale a pena!

Harrods Praça Alimentação

O restaurante Aqua Kyoto é um japonês maravilhoso no 5º andar de um prédio. A luz é baixa (eu adoro) e a comida é simplesmente perfeita. Tem uma varanda bem legal que, se o tempo permitir, é um ambiente super agradável para jantar e que costuma agradar bastante a turma dos fumantes – o que não é o meu caso. Fora todos que a Carol indicou (fomos em muitos deles juntas!) indico também o Amaya, que é indiano, pra quem gosta. Uma outra dica é: comida de pub não é mais comida ruim! Sente num pub e com toda tranqüilidade do mundo peça um Fish and Chips ou um Sunday roast no domingo. Voces comerão MUITO bem. Já foi o tempo em que Pub era significado de cerveja quente e comida nojenta. A cerveja continua quente (kkkk), mas a comida não vai deixar a desejar! A última – mas não menos valiosa – dica é ir no Sketch (sinistríssimo!) – um complexo de 2 restaurantes e 3 bares. Um ótimo lugar para um programa completo: jantar no restaurante The Gallery, tomar drinks no bar que parece um disco voador, fazer xixi nos banheiros que são ovos que emitem barulhos e depois ir pras baladinhas, que geralmente são bem próximas do restaurante. Para entender melhor o conceito, vale uma visita no site deles – que é uma loucura!

SketchSketchCompras? 

Sloane Street, Harrods, Selfridges e por ai vai – acredite ou não, não é o meu programa favorito!

Baladas? 

Em Agosto de 2008 fui para Londres para fazer uma pós (Master in Leadership and Management), e resolvi encarar a cidade de verdade. O ponto que eu quero chegar é: eu estudei muito, ralei, aprendi demais, e fiz o melhor que eu podia. MAS eu consegui conciliar isso tudo com pelo menos 3 noites de badalação intensa, toda semana. Eu gosto da noite, gosto muito, e fui muito bem sucedida em aproveitá-la em Londres. O começo de tudo foi assim: Uma amiga da Angelina passou pra ela o tel de um amigo e disse “quando você chegar em Londres ligue pra ele pra vocês saírem!” e ela fez isso. Me levou numa saída dessas e ele era um cara que gostava bastante de festas. Nos identificamos e viramos companheiros de balada. Filho de pai inglês e mãe brasileira, o James morou a vida toda em Londres, então conhecia os lugares mais interessantes e as pessoas certas.Mas é claro que o conceito de “lugares interessantes” é bem relativo. Isso porque quando o assunto é noite, existe gosto pra tudo! Eu não curto muito os clubes grandes, como Ministry of Sound, Pacha, Fabric e etc. Prefiro baladas menores e mais exclusivas. O James me apresentou a Jalouse, que havia sido eleita em 2008 como a melhor nova boite do ano. Esse clube não só ficou sendo a minha “ segunda casa” como também me abriu as portas para vários outros lugares. Se você arriscar a ir pela primeira vez com uma pessoa que está acostumada a aparecer por la, já é ótimo. Se a pessoa que te levou conhece o dono da balada, melhor ainda… e se você resolve aparecer por lá 2 vezes por semana e trocar uma idéia com a mocinha da porta, facilita tudo e você começa a andar com as próprias pernas. Quanto mais você freqüenta, mais você vai familiarizando com todos que trabalham e freqüentam o ambiente, e assim a cordinha que separa a fila da porta de entrada, não será mais um problema na sua vida – basta descer do taxi, e o porteiro te reconhece e diz: Welcome! Lá fiz amigos que já vieram para o Brasil e se hospedaram na minha casa, conheci pessoas que promovem vários outros clubes (Bougis, Maya, No.5 Cavendish, Maddox), lá me levaram pro mais disputado after-party de Londres, O BLC (british luxury club) onde a festa sempre começava por volta das 3:30 am. Na noite conheci pessoas esquisitas, pessoas ultra inteligentes, pessoas que eu nunca mais vou lembrar na vida e pessoas que jamais vou me esquecer e deixar de estar em contato (e nisso o facebook ajuda muito!). Não vou ficar aqui passando uma lista de clubes que acho que vocês devem ir, pois acho os lugares ficam no topo e também caem muito rápido. Mas opções nunca vão faltar!

Jalouse Main

Eu também conheci o lado alternativo de Londres. Me aventurei na noite de Shoreditch, mas conclui que realmente não é a cena que eu mais curto (apesar de ser ótimo variar!). Saí também com o pessoal da minha escola que tinha o gosto bem parecido com o meu e me diverti muito. Fui a clubes que nem bar tinham (só serve bebida na mesa em que vc está), que são exclusivos para sócios, e cuja cota é passada de pai pra filho. É uma experiência diferente, bem legal! E é aquilo que eu disse lá em cima no “com quem ir”: conecte-se! Você vai ter oportunidade de conhecer lugares que nunca imaginou existir, que não estão em evidência… lugares que vão simplesmente surgir pra você! Agora, por mais selecionados que as melhores baladas sejam, muitos promoters tem sites e/ou perfil no facebook e você pode contactá-los, para que eles coloquem o seu nome na lista na porta. Isso acontece bastante e sempre funciona  - se vc ajudar, é claro! Mas, nesse caso, é melhor não chegar muito tarde. Voce tem sempre mais chance de entrar se a casa não estiver lotada – principalmente se for homem! Uma dica também é nunca chegar na porta das boates em turmas grandes. Se não estiverem dispostos a pegar uma mesa, dividam o grupo e entrem de 2 ou 3 no máximo. Divirta-se como se não houvesse amanha! Londres foi feito pra isso! CHEERSSS!

Furada:

Ficar em hotéis distantes de Central London – o metro não funciona depois da meia noite e você vai acabar gastando mais dinheiro em taxi do que gastaria num hotel mais bem localizado.

O que levar na mala? 

Para elas: Londres é um lugar sem dúvida muito chique. Abusem do salto alto a noite, dos vestidinhos, nos casacos legais e caprichem na maquiagem. As mulheres nas baladas são muito bem arrumadas, e super produzidas. E isso conta muitos pontos na hora do hostess da balada olhar pra vc e dizer: “Welcome!” Para eles: Esqueçam o tênis fora da mala. Abusem do blazer, camisa e sapato. A regra chata não é minha, mas tem que ser seguida se você quer se divertir na noite chiliquenta de Londres sem chateações. Se vocês olharem nas “regras” das baladas mais bacanas de Londres, 100% delas vão ter como boné e tênis o maior pecado que você pode cometer ao aparecer na porta. 

Drinks Por Sílvia Gomide

4 comments

  1. Mala, foi um dos posts sobre viagem mais legais que eu já li! Não conheço Londres e me deu vontade de marcar já pras minhas próximas férias! Achei a sua cara! Imaginei vc contando! hehe!
    Carol, parabéns pelo blog! Tá muito legal e com frequência e variedade de posts melhor que vários blogs famosos!
    Um bjo, Nat

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*


7 − 1 =

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>